recursos

Liberdade

Liberta-te Te Te TE TE TE TU

ÉS

Liberdade de expressar… então e o silêncio? Alguém me perguntava e comentava dos portugueses serem pouco reativos à opressão… e dei por mim a constatar que há acções no silêncio que movem montanhas… e são enormes na sua dimensão… em silêncio e acção… que toca visível e invisível. É poder.

Sair dos lugares de opressão ou apontar-lhe o dedo ali mesmo ou até ir até lá?

O grito de uma voz pacífica, de verdade já tanto que se viu e vê o seu espelhar e espraiar, da resistência e acreditar… há o grito de ficar… e o de partir… e há sempre o lugar porto de onde tudo parte… dentro, no coração. O que nos move.

Há lugar para a fé e a esperança e lutar com a diversidade de ferramentas de que temos ao dispor.

Temos a Vida… ao dispor. A verdade de cada ser será diversa, e influencia tanto mais… o que move cada um no momento é tão delicado e livre e forte na escolha e decisão, ilimitado e único.

Observo que é no conjunto que o movimento maior se gera, com a peculiaridade de cada uma/cada um no seu caminhar. Quanto me toca esta liberdade e generosidade e força de escolher, aceitar, decidir. E levar todo o amor consigo. Respeitando os passos de cada ser, entrelaçados.

Sei que do movimento individual se podem mover massas, comunidades, humanidade(s) pois estamos entrelaçados, nesse destino de Ser HumaUNidade. E quando unidos nos encontramos as vozes correm mais rápido, ganham fluxo, como as gotas de água da chuva que se encontram nas poças, nos carreiros, nos lagos, ribeiros, rios, mar, oceanos interligados que abraçam os lugares das terras, sem interessar os seus nomes…  

Entrelaçados,

pois a vida que corre em mim e em ti é superior a fronteiras, como a beleza, o que vibra em amor, o sangue que pulsa, o suspiro que expira e o ar que se move entre as árvores e os meus pulmões…

Que as fronteiras sejam as do respeito, do consentimento, os lugares do encontro!

Que as vozes no silêncio, nos gestos, nas palavras… continuem a ecoar, ressoar e a criar movimento. Para a melhor versão do presente que nos é possível sonhar e gerar.

Grata sou a quem nos trouxe até aqui e ao poder de ser e influenciar outros no caminho, a receber e dar, por caminharmos juntas e juntos!

Gratidão.

Somos.  

Hoje e Sempre, 25 Abril, Vozes de Abril

Cândida Rato

25.Abril.2023 (Em Macau, Sul da China)

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.